Entre em Contato Conosco

Jogos

A triste realidade dos games online.

Publicado

em

Antigamente, jogar videogame poderia ser feito de duas maneiras. A primeira era sozinho, comendo um bolinho de chuva, tomando um refrigerante e tentando terminar aquele jogo. A outra forma era com 1 ou mais amigos, juntos no mesmo ambiente, rindo brincando, disputando aquele game.

Com o avanço da tecnologia e com o surgimento da internet, não demorou para existir os jogos que dessem pra ser disputados online. Com outro amigo, ou estranho, em qualquer lugar do mundo.

Os homens precisam entender que o mundo dos games não é somente deles. Desrespeito por uma mulher, na mesma partida que os amigos dele, não o torna mais homem. Não precisam também forçar a barra, nós mulheres não queremos atenção, queremos apenas jogar!

Um pouco antes disso, já era possível jogar em rede em alguns jogos de computadores, como Mazewar ou MUD. Que já era um ensaio para jogos super parrudos juntando verdadeiras multidões online como Word of Warcraft.

Nos consoles, na década 90, quando a internet já era realidade à todo vapor nos EUA e Japão a sega lançou o SEGA NET, um aparelho que plugava no Mega Drive e possibilitava acessar a internet. Comercializado aqui pela Tec-Toy, ele permitia leitura de emails, bate-papo em tempo real, leitura de revistas eletrônicas, download de jogos — a exemplo de Phantasy Star II Text Adventures, Sonic Eraser e Teddy Boy Blues— e… Partidas online (com o Meganet 2)! A velocidade do modem era baixíssima, mas cartuchos como FIFA Soccer 95 e Mortal Kombat II eram compatíveis.

Depois tivemos o Dreamcast, o Playstation 2, o Xbox, e daí pra frente não parou mais. O fato é que a jogatina online veio pra ficar. Quando o serviço online das grandes Sony e Microsoft por exemplo fica fora, chove de reclamações nas redes sociais. Alguns postam até vídeos no youtube, dizendo coisas do tipo “Sony, você acabou com a minha vida, não consigo jogar online!”. Mas junto com essa jogatina online, surgiram os mesmos problemas que sempre existiram na grande rede: assédio, pedofilia, discriminação, roubo de informações, etc.

Fizemos uma pequena pesquisa online com algumas mulheres/meninas e 62% delas responderam que o assédio é considerado por elas o maior problema de se jogar online. Mas outros problemas também preocupam, como preconceito por ser mulher e estar la jogando videogame (?) e “puxasaquismo”.

O problema ocorre em diversas plataformas, mas com mais freqüência no Playstation 4 (44%) seguido pelo Nintendo Wii U (22%). As histórias são as mais absurdas, como achar que a pessoa é fake e ofender a menina por isso. Ou ficar perguntando características físicas da menina. Ou comentários como “Você deveria estar lavando louça”, ou “Deve estar tendo relações sexuais com o dono da produtora pra ter ganhado”.

Geralmente quando ganho de algum menino no Fifa, ou quando mato no Bf, eles mandam mensagem me xingando ou duvidando que sou mulher. Além de todos os dias, pelo menos 2 homens me add na live sem eu nem saber quem são.

.. mas todos os caras que começam com palavras…. “atenciosas” demais, como se parecesse que temos intimidade, eu já corto na hora. Não é agradável esse tipo de atenção, ainda mais de um desconhecido.

Os homens em sua maioria não aceitam perder para mulheres, quando acontece eles nos ofende. O que acontece muito tbm é eles Pedirem nudes e nos faltar com respeito … Perguntando o tamanho dos peitos e bunda … Assim desviando o foco do jogo.

Estes são apenas alguns exemplos de relatos das meninas que sofrem pra jogar online.

Mas como combater?

Uma das questões na nossa pesquisa é “Quais as medidas você acha que devem ser tomadas para diminuirmos estes problemas que as mulheres sofrem ao jogar online?

Para nosso espanto, pouquíssimas responderam o obvio, que tudo se inicia DENUNCIANDO. Sim leitora, sim leitor. Todo serviço online possui cláusulas que foram aceitas, e uma das clausulas diz que você não pode discriminar, difamar, ou desrespeitar outro membro online. Mas para eles ficarem sabendo, vocês devem denunciar. Não basta ignorar ou bloquear o usuário. Denunciem.

Acho que os homens tem que adquirir uma postura de anti sexismo nos jogos, se eles verem alguém fazendo isso (seja amigo ou não), eles precisam alertar, precisam conversar sobre, dizer que é errado e que não é legal. Acho que a principal medida é haver essa conscientização, esse debate. Outra coisa que poderia existir, mas existe apenas em mobas como Dota e LoL(que eu saiba) é a possibilidade de reportar um comportamento abusivo ou sexista de algum jogador. Acho realmente que isso deveria existir em todo jogo online. Aí, o jogador receberia um feedback de denúncia, de que alguém o denunciou por esse comportamento abusivo. Caso o comportamento fosse frequente, ele seria banido por um período x e tals.

E você marmanjo que estiver lendo isso, e que costuma praticar essas ações, tome vergonha na sua cara, do outro lado poderia estar sua irmã, sua prima, futuramente sua filha, às vezes até menor de idade. E não é só as mulheres. Ja vimos reclamações que época de férias escolares são as piores, com ofensas gratuitas sendo distribuídas pela rede. Lamentável.

Que tal todos contribuirmos para um ambiente mais agradável e seguro pra todos?

Quer contribuir para a nossa pesquisa? Clique aqui e responda, é rápido.

Programador, Fotógrafo, Nerd, Pai, Marido, Publicitário e Curioso, não necessariamente nesta ordem. Apaixonado por tecnologia e jogos retrô.

Continue Lendo
Publicidade
Comentários

Jogos

Metroid: Samus Returns

Publicado

em

O jogo tem data de lançamento prevista para 15/09/2017

Confesso que fui apresentado à série, apenas no Super Nintendo. Com o famoso “Super Metroid”. Foi amor à primeira vista. O jogo é fantástico. Foi um dos jogos que eu mais sentir prazer em terminar, explorando cada centímetro do jogo.

Depois disso, vieram outros metroids, mas confesso que nenhum conseguiu me conquistar. O fato de serem 3D, na minha opinião, acabou com toda a magia de exploração e de enfrentar os chefes. Enfim… não curti. Me critiquem se quiserem.

Acontece que no próximo dia 15/09, a nintendo vai lançar “Metroid: Samus Returns” para o quase falecido Nintendo 3DS.

O jogo, como o nome mesmo diz, trás como protagonista Samus, e é um ramake do Metroid II: Return of Samus, lançado originalmente para Game Boy em 1991.

O game tem lançamento previsto para 15 de setembro para a plataforma Nintendo 3DS.

Continue Lendo

Jogos

[Boato] Sistema Operacional do Nintendo Switch é não é Android. É Unix!

Publicado

em

Por

Imagem: Internet

O sistema operacional do Nintendo Switch é extremamente minimalista e vem sendo elogiado pela sua velocidade e estabilidade.

Mas você sabe qual é o Sistema Operacional que ele usa? Diferente dos boatos que vem rolando dizendo que o Switch usa uma versão do Free BSD (imagem abaixo) – UNIX e não Android.

Apesar da semelhança os dois usam um kernel totalmente diferente. O Android usa uma versão customizada do Linux.

O UNIX por sua vez, é um dos sistemas operacionais antigos e mais estáveis que existem.

Para efeito de exemplo, hoje o Platlystation 4 também usa uma versão customizada do Free BSD, enquanto o Xbox One usa uma versão customizada do Windows 10.

 

Continue Lendo

Jogos

Vem aí: Cuphead

Publicado

em

Don't Deal with the Devil

Desde que foi anunciado, na E3 de 2014, eu venho acompanhando e ansioso pelo lançamento de Cuphead. Um jogo exclusivo do Xbox One nos consoles e de PC/Steam.

O visual do jogo é todo feito a mão e lembra muito as animações dos desenhos da década de 30. A Revista Time publicou até um preview de como o jogo está sendo desenhado: http://time.com/4123150/cuphead-preview/

O estilo do jogo é uma mistura de plataforma com jogos de tiro. Os próprios desenvolvedores citam os jogos abaixo como inspiração de jogabilidade, são eles  Gunstar Heroes, Contra III, Contra Hard Corps, Super Mario World, Street Fighter III, Mega Man, e a série Thunderforce.

faq_games_that_influenced_cuphead

Segundo os desenvolvedores, o jogo é baseado em batalhas com chefes (75% do jogo) e plataforma (25% do jogo), terá uma dificuldade elevada se comparado ao jogos atuais e tem lançamento previsto para ainda este ano.

Sua trilha sonora, toda produzida por Kris Maddigan, única e exclusivamente para o jogo, contará com cerca de duas horas e meia de puro Jazz!

Vejam abaixo um pouco do gameplay do jogo:

 

Continue Lendo

Facebook

Publicidade

Mais Lidas